domingo, 20 de fevereiro de 2011

Bolha imobiliária no Brasil?


Já está ficando batido falar sobre a crise norteamericana que começou com os empréstimos sub-prime, num processo que o ex-presidente do FED Alan Greenspan denominou de “exuberância irracional”, mas é fato que essa crise mudou alguns paradigmas e trouxe muitos reveses às economias dos países de todo o mundo, mesmo que menos para uns do que para outros (desenvolvidos vs em desenvolvimento, com uma grande vantagem para os últimos). Porém já existem grandes indícios que uma crise imobiliária está para estourar na China e será que o mesmo não é verdadeiro para o Brasil? A Fundação Instituto e Pesquisas Econômicas (Fipe) mostrou que em três anos os imóveis no Rio de Janeiro já valorizaram 95%, em São Paulo e Porto Alegre a valorização dos imóveis não perde muito para o Rio. Hoje (se fizermos a conversão cambial dólar/real) está mais barato comprar imóveis em Miami Beach do que no Rio de Janeiro ou na Espanha do que em São Paulo, é evidente que os EUA e a Espanha sofreram um forte abalo com a crise e que o Brasil está em um ótimo momento. Só nos resta saber quanto tempo isso ainda irá durar, se formos olhar para a demografia nos parece que ainda teremos bastante ar para inflar esta bolha, pois nos próximos vinte anos teremos mais população ativa no país do que inativa, somando isso a questão do aumento de renda do brasileiro não precisa pensar muito para ver que muita gente ainda vai comprar sua casa própria. Por enquanto é questão de escolha: charme europeu versus caos paulistano ou pessoal de South Beach versus traficantes do Alemão.

Álvaro Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário